DIG fecha fábrica clandestina de álcool gel no Jd. São Judas Tadeu

Policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Campinas localizaram uma fábrica clandestina de álcool gel que funcionava em uma loja de produtos para lava-rápidos em um barracão no Jardim São Judas Tadeu, em Sumaré, na tarde da segunda-feira (23/03). O proprietário do imóvel, que é químico, foi preso em flagrante e vai responder por crime contra a saúde pública. Foram apreendidos aproximadamente 1.000 litros de álcool em gel e 250 frascos prontos para a venda, sem rótulo ou inscrição com a composição e os cuidados para manuseio. Cada galão de cinco litros de álcool em gel seria comercializado por R$ 45,00.
Os investigadores informaram que o proprietário do depósito é químico e não possuía autorização da Anvisa ou da Vigilância Sanitária para fabricar o produto. Ele foi levado à sede da delegacia especializada e permaneceria preso até ser apresentado para sua audiência de custódia. Peritos do IC (Instituto de Criminalística) de Americana foram acionados para fazer o levantamento sobre a situação da produção e armazenamento dos produtos.

INVESTIGAÇÃO
No sábado (21 de março), a GCM (Guarda Civil Municipal) de Sumaré apreendeu 54 frascos, supostamente de álcool gel, que eram comercializados em um supermercado na Avenida Emílio Bosco, no Matão. As embalagens plásticas, de 500 ml, eram geralmente usadas para armazenamento de suco. Cada unidade era vendida a R$ 8,99. As embalagens foram apreendidas e encaminhadas para análise do IC. O responsável pelo estabelecimento foi ouvido e liberado em seguida.
A Polícia Civil considera a possibilidade de que o produto comercializado no Matão, poderia ser proveniente da fábrica clandestina, no bairro São Judas.

Terça-feira, 24 de Março de 2020

Veja Também

Guarda Civil prende acusado de vários roubos em Nova Odessa

Rapaz de 18 anos foi preso após bater carro em fuga em uma árvore; comparsa ...