Comércio da RMC supera a previsão em 6,7% e vende R$ 480 mi na Black Friday

Comércio on-line também confirma previsão e vende bem neste ano durante a “Sexta-Feira Negra” de grandes promoções

O Comércio Varejista das 20 cidades que compõem a RMC (Região Metropolitana de Campinas) vendeu R$ 480 milhões nas promoções do último final de semana, quando aconteceu a Black Friday (a “Sexta-Feira Negra” de grandes promoções em lojas físicas e on-line, que se estendeu pelo sábado e domingo). O resultado ficou acima até mesmo da expectativa divulgada anteriormente pelo Departamento de Economia da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), que previa um faturamento de R$ 450 milhões – o que já seria um resultado 50% superior aos R$ 300 milhões faturados na mesma data no ano passado.
“Em Campinas e região, a Black Friday movimentou R$ 480 milhões, cerca de 6,7% acima dos R$ 450 milhões previstos, sendo 55% nas vendas on-line e 45% nas lojas físicas”, informou em nota o Departamento de Economia da Acic. Em Campinas, especificamente, a movimentação alcançou R$ 216 milhões, o que responde por cerca de 45% das vendas do Comércio de toda a RMC.
Segundo o estudo da Acic, os produtos mais procurados foram os smartphones, celulares, TVs, eletroeletrônicos, vestuários e calçados, passagens aéreas, livros e brinquedos. O valor médio das compras (o chamado “tíquete médio”) foi de R$ 602,00, cerca de 1% menor que os R$ 608,00 de 2018. Neste caso, a previsão não se confirmou: a Acic esperava um valor médio de negociação de R$ 650,00 neste ano.
A previsão era de que o Comércio Digital ficasse com cerca de 57% do total das vendas da “Sexta-Feira Negra”, e o Varejo tradicional, com os 43% restantes. Em 2018, 44,5% das compras na Black Friday foram feitas pelos consumidores do país em lojas físicas, e 55,5% pela internet.
Mas a Associação Comercial campineira confirmou um aumento das vendas por aplicativos. “Aliás, diga-se de passagem, neste ano as compras foram consolidadas por meio dos smartphones, representando uma experiência muito positiva do mobile (vendas on-line)”, afirmou em nota o economista e diretor da Associação, Laerte Martins. Ele “aposta” que a movimentação da Black Friday de 2019 “foi a mais expressiva dos últimos anos, tanto em nível nacional, como em nível regional”.

ONLINE NO BRASIL
Segundo dados avaliados pela Ebit/Nielsen, a Black Friday de 2019 (considerando as vendas do Comércio efetuadas nos dias 29 e 30 de novembro, ou seja, ainda sem incluir o domingo, 2º de dezembro) faturou em nível nacional, no Varejo on-line, cerca de R$ 3,30 bilhões, superando em 6,40% os dados de 2018.
Já o levantamento realizado pela Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-Commerce, mostra que o faturamento do setor nos dias 28/11 e 29/11 foi de R$ 3,87 bilhões – valor 30,9% maior do que o mesmo período do ano passado.
“O crescimento mostra que a data está cada vez mais consolidada no calendário do varejo nacional. A Black Friday de 2019 certamente foi um sucesso. Em média, nas 48 horas de promoções, registramos cerca de 35 pedidos por segundo no Varejo on-line, sendo que nas horas de maior volume, chegamos a registrar médias de 75 pedidos por segundo no Comércio Eletrônico brasileiro”, destaca André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.
Segundo ele, esta alta é reflexo, principalmente, do maior número de pedidos realizados: ao todo, 6,11 milhões de compras on-line foram feitas durante a data, número 28,5% maior do que o registrado na Black Friday em 2018. O tíquete médio nacional foi um pouco superior ao da RMC, em R$ 634,00.

Quarta-feira, 4 de Dezembro de 2019

Veja Também

PL aprovado dá segurança a clientes e empresas prestadoras de serviços

Proposto por Dudú Lima, projeto obriga empresas a enviar a identificação e notificação dos funcionários ...