Rizzo Parking vence disputa para projetar nova ‘Zona Verde’ do DF

Antiga concessionária da Zona Azul de Sumaré vai fazer projetos, editais, audiências públicas e minutas da concessão da capital federal

A concessionária Rizzo Parking, que operou o sistema de estacionamento rotativo do tipo “Zona Azul” no Centro de Sumaré até meados de 2017, quando o contrato foi rescindido pela Prefeitura, venceu no último dia 20 de novembro o PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) da Secretaria de Transporte e Mobilidade de Brasília/DF para a elaboração dos projetos, editais, audiências públicas e modelos de contrato da concessão para exploração da futura “Zona Verde” da capital federal.
A Zona Verde de Brasília é exatamente o que é conhecido por Zona Azul, um estacionamento rotativo pago em vias públicas, mas neste caso com a adoção de critérios visando a adoção de tecnologias sustentáveis na operação do sistema. Trata-se, segundo a empresa, de “um projeto que deve reestruturar toda a Mobilidade Urbana do Distritito Federal”.
A proposta vencedora inclui, por exemplo, o incentivo ao uso do Transporte Público (principalmente o metrô de Brasília, atualmente subutilizado) e a utilização de veículos elétricos na operação do sistema de estacionamento rotativo. A empresa também vai poder participar da concorrência pública para a exploração do sistema, que não tem data para acontecer ainda, mas deve ser aberta já no 1º semestre de 2020. A proposta abrange não apenas o Plano Piloto, mas também as cidades satélites.
“A Secretaria de Transporte e Mobilidade publicou hoje (20/11) no Diário Oficial o resultado da avaliação dos estudos entregues para embasar a futura licitação de estacionamentos rotativos pagos no Distrito Federal, a chamada Zona Verde. A empresa Rizzo Parking and Mobility S/A teve o documento selecionado após análise da comissão técnica da Semob, que ajustará o projeto”, confirmou a gestão brasiliense.
O próximo passo do processo será a apresentação do estudo em uma audiência pública para os futuros usuários, potenciais licitantes e demais interessados. Depois disso, o Tribunal de Contas do Distrito Federal deve apreciar o trabalho e, em seguida, o edital de licitação será publicado.
Ao todo, 12 empresas ou associações de empresas manifestaram interesse em preparar o estudo sobre a futura Zona Verde de Brasília. Nove delas foram autorizadas pelo Governo Distrital e duas apresentaram efetivamente os estudos. “Só foram autorizadas as empresas que comprovaram experiência com operação de estacionamento e elaboração de estudos para parcerias”, ressaltou a gestão da capital federal.

ZONA VERDE
Segundo o Governo de Brasília, “o objetivo do Projeto Zona Verde é estimular o uso, de forma mais eficiente, dos espaços e transportes públicos”. “A ideia é criar regras para rotatividade no Plano Piloto e bolsões de estacionamento privilegiando locais próximos dos transportes coletivos – estações de metrô, do VLT e de paradas de ônibus com maior fluxo de pessoas, além de reforçar as linhas e a integração nesses locais”, ressaltou a gestão do Distrito Federal.

CELEBRA
Em seu site, a Rizzo celebrou o resultado da disputa. “Temos 26 anos nessa estrada, e como todos sabem, há conhecimento que só chega através do tempo. E a coragem foi nossa maior ferramenta no começo dessa jornada que desbravou diversos novos horizontes, e que muitos deles acabaram em abismos, mas ninguém conhece melhor o fracasso do que o sucesso. Hoje, somos a empresa de estacionamento rotativo com maior diversidade de tecnologias, todas de ponta e que são as melhores do mercado”, apontou a empresa.
A Rizzo Parking, que já atuou em mais de 25 mil vagas, hoje tem 5 mil vagas sob sua administração e tem, segundo a empresa, “uma imensa taxa de aceitação, que além de melhorar a vida de seus usuários, leva recursos para dentro da cidade, gera empregos e ainda participa de ações filantrópicas”.
“Emergir na capital do nosso amado Brasil será nosso próximo desafio. E não podíamos falar de sucesso, sem falar do nosso maior sucesso, que é a conquista de uma equipe maravilhosa. Diversa e jovem. Nosso time brilhou em campo e nos trouxe um troféu incrível. Mas também entregou ao Governo de Brasília um instrumento de inovação e desenvolvimento urbano, jamais usado no Brasil”, acrescentou a concessionária.
O estudo apresentado pela Rizzo Parking “constrói a implantação da realidade que o Brasil anseia: ecológico, tecnológico e fluente”. “Estamos falando de organização urbana, respeitando o crescimento de árvores, o aumento do fluxo de carros, sem aumentar a poluição do ar. Estamos falando de você poder sair de casa e ter onde estacionar, mas não dizendo que você deve sair de carro. E sim, estamos falando do coletivo. Estamos falando do futuro do Brasil. Vencemos. Obrigado a todos que acreditam, e que contribuíram com nossa equipe, com nossa família. Distrito Federal, nos vemos em breve”, completa a nota da Rizzo.

Domingo, 1º de Dezembro de 2019

Veja Também

PL aprovado dá segurança a clientes e empresas prestadoras de serviços

Proposto por Dudú Lima, projeto obriga empresas a enviar a identificação e notificação dos funcionários ...