Vendas do Dia dos Pais crescem mais do que o esperado pelo Comércio da RMC

Balanço da Associação Comercial de Campinas mostra que Setor Varejista faturou R$ 271,4 milhões na venda de presentes neste ano

As vendas de presentes para o Dia dos Pais de 2018 pelo Comércio Varejista da RMC (Região Metropolitana de Campinas) superou as expectativas da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) e cresceram 2,18%, alcançando um faturamento de R$ 271,4 milhões. Na mesma “data especial” para o Comércio de 2017, o faturamento total do setor havia sido de R$ 265,7. A previsão inicialmente divulgada pela entidade de classe era de um aumento menor nas vendas, de apenas 1,2%.
Além disso, pelos dados do “pós-vendas” do Dia dos Pais deste ano, as vendas ficaram acima do Dia dos Namorados pela 1ª vez nos últimos cinco anos, só perdendo para o Dia das Mães – e, provavelmente, também para as vendas de Natal, que é tradicionalmente a melhor data para o Comércio brasileiro em geral.
“Em termos de valores de vendas, a temperatura mais fria motivou uma melhora nas vendas do Dia dos Pais neste ano, apresentando uma expansão de 2,18% sobre as vendas de 2017, em Campinas e Região”, afirmou o economista e diretor da Acic, Laerte Martins – que acompanha mensalmente os resultados do setor nas 20 cidades que compõem a metrópole, inclusive Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia.
O valor médio do presente dos pais, neste ano, também subiu acima da previsão e aos R$ 112,00, uma expansão de 4,67% sobre o preço médio de 2017, que foi de R$ 107,00. A previsão inicial da Acic apontava para um valor de “ticket médio” de R$ 109,00 neste ano, 1,87% acima do valor de 2017. Para comparação, o valor médio do presente para as mamães, em 2018, foi de R$ 233,00.
“Os presentes mais procurados foram itens de vestuário, calçados, gravatas e camisas, eletroeletrônicos, celulares e perfumaria. Os almoços nos restaurantes apresentaram uma boa demanda para agradar os pais em família”, acrescentou Martins.

TEMPORÁRIOS
Por fi m, a contratação de mão de obra temporária pelo Comércio Varejista (incluindo lojas de rua, de shopping centers e também as virtuais) neste Dia dos Pais teve uma movimentação 3,60% abaixo da contratação de temporários para a mesma data de 2017, fechando em 1.250 admissões – contra 1.296 contratações em 2017 em Campinas e Região. “Apesar do desemprego em alta, a Economia brasileira não tem favorecido as contratações, no Comércio e Serviços”, lamentou o economista.

REGIÃO
Na região de cobertura do Jornal Tribuna Liberal, as Associações Comerciais de Sumaré (Acias) e de Hortolândia (Aciah) ainda não divulgaram seus balanços do faturamento no Dia dos Pais, celebrado no último domingo, dia 12 de agosto. No entanto, as expectativas de ambas eram iguais ou superiores ao resultado regional apontado pela Acic.
A Associação Comercial de Hortolândia, por exemplo, previa um crescimento de até 5% nas vendas, em relação ao mesmo período do ano passado. Já a Associação Comercial de Sumaré, mais comedida, previa vendas 2% maiores na cidade no Dia dos Pais deste ano.
O SindiVarejista de Campinas e Região e a FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), no entanto, esperavam que o Comércio da macrorregião de Campinas vendesse 8% a mais neste mês, em comparação a agosto de 2017.

Veja Também

Atividade da Indústria paulista inicia 3º trimestre com queda de 2,2%, diz Fiesp

Indicador de Nível de Atividade calculado mensalmente mostrou recuo da atividade industrial em 15 dos ...