Cresce número de novas indústrias em Hortolândia, diz Ministério da Economia

Rais de 2018 mostra a existência de 383 estabelecimentos industriais na cidade e reforça a retomada do desenvolvimento

O trabalho que a Prefeitura realiza para retomar o crescimento econômico da cidade apresenta resultados. Prova disso é a Rais (Relação Anual de Informações Sociais) 2018 que mostra a existência de 383 estabelecimentos industriais na cidade, o que indica crescimento de 4,93% em relação a 2017, quando o município tinha 365 indústrias. A cidade também apresentou crescimento no Setor de Serviços. Na Rais 2018, o município registrou 1.031 empresas de Serviços, crescimento de 3,41% em relação a 2017, quando a cidade tinha 997 empresas do setor. Os dados da Rais 2018 foram divulgados mês passado, pelo Ministério da Economia.
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação destaca ainda que o crescimento no número de indústrias da cidade foi maior que o da RMC (Região Metropolitana de Campinas), que foi de 0,54%. O crescimento de empresas de serviços de Hortolândia também superou o da RMC, que foi de 0,41%.
Ainda de acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, o crescimento do Setor Industrial da cidade apontado pela RAIS 2018 se reflete no aumento no número de empregos no setor. De acordo com dados referentes ao primeiro semestre deste ano, já divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), também do Ministério da Economia, o Setor Industrial da cidade fechou o primeiro semestre deste ano com saldo positivo de 113 postos de trabalho. Já no mesmo período de 2018, o saldo, também positivo, foi de 149.
Em termos gerais, de acordo com os dados do Caged, Hortolândia fechou o primeiro semestre deste ano com saldo positivo de 804 postos de trabalho, sendo que no período foram 7.695 admissões e 6.891 demissões. O saldo geral do primeiro semestre deste ano é seis vezes maior que o do mesmo período de 2018, quando o município registrou o saldo positivo de 133 postos de trabalho: foram 6.942 admissões e 6.809 demissões.
Para a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, Monique Freschet, os números positivos que o município registrou na RAIS 2018 e no Caged são resultado do trabalho que a Prefeitura tem realizado para atrair empresas dos mais diversos setores para a cidade.
“O aumento no número de estabelecimentos refletem a ampliação do emprego e da renda no município, já observados no primeiro semestre deste ano. Com a ampliação da renda dos munícipes, acreditamos que o aumento no consumo provocará reações positivas também no comércio. Assim, Hortolândia demonstra mais uma vez a sua força para a retomada do crescimento, por meio de políticas públicas articuladas e consolidadas”, destaca Monique.

PIC
A retomada do desenvolvimento econômico de Hortolândia, com geração de emprego e renda é uma das prioridades do PIC, o Programa de Incentivo ao Crescimento da Prefeitura. O PIC é um programa que prevê investimentos para promover o desenvolvimento urbano, ambiental, social, humano e econômico para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. As ações do PIC são realizadas por meio de parcerias da Prefeitura com a iniciativa privada, governos Estadual e Federal.
As obras e ações do PIC têm atraído a vinda de novas empresas para a cidade, como são os casos da fabricante de embalagens plásticas Embalixo e da empresa de TI (Tecnologia da Informação) Odata, esta, inclusive, já iniciou a construção de seu novo data center, localizado no Jardim Santa Esmeralda, às margens da rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP 101).
A cidade mostrou outro sinal da retomada do crescimento econômico no ranking anual “Melhores cidades para fazer negócios – Edição 2019”, elaborado pela empresa Urban Systems para a Revista Exame, que o divulgou na edição do mês passado. No ranking que lista as 100 melhores cidades do país para se investir, Hortolândia ficou na 59ª posição. No ranking de 2018, a cidade aparecia na 90ª posição.

Quinta-feira, 7 de Novembro de 2019

Veja Também

Sebastião Correa quer que terminais de consulta informem preço por áudio

Um Projeto de Lei protocolado na Câmara Municipal de Sumaré no último dia 06 de ...