Frentista é preso com armas e munições no Matão; guarda municipal é afastado

Rapaz de 24 anos afirmou à PM que teria adquirido pistola, revólver e munições de um integrante da Guarda Civil Municipal

Uma denúncia anônima sobre um suposto esquema de venda de armas ilegais levou à prisão do frentista L.A.P., de 24 anos, em flagrante, pela Polícia Militar, no início da madrugada do último sábado, dia 19 de outubro, no Loteamento Nova Terra, na região do Matão, em Sumaré. Ele chegou a tentar fugir pulando telhados de casas vizinhas e, alcançado, ainda tentou se desvencilhar dos policiais, que tiveram que contê-lo e algemá-lo. Com ele, os PMs teriam localizado uma pistola calibre 380, um revólver calibre 38, munições intactas e cartuchos vazios (inclusive de fuzil calibre 762) e diversos carregadores (os “pentes” de munição). Um guarda municipal acusado pelo criminoso de ser o suposto “fornecedor” do armamento foi afastado ontem preventivamente das suas atividades pela Prefeitura.
Segundo o registro da ocorrência junto à Polícia Civil, a equipe da PM fazia patrulhamento preventivo de rotina pela região do Matão, por volta da zero hora de sábado, quando um popular fez uma denúncia anônima de que haveria uma “entrega de armas” a qualquer momento em determinado endereço do Nova Terra. Segundo o denunciante, a entrega seria feita pelos ocupantes de um veículo VW Jetta preto, em um imóvel da Rua Sargento Paulo Sérgio Pozeli.
Os policiais se deslocaram até o local mencionado pelo denunciante, mas nada encontraram de imediato. Ao fazer uma averiguação nas imediações, no entanto, os policiais avistaram um indivíduo “em atitude” suspeita na frente da residência mencionada.
“Os policiais militares se aproximaram para realizar a abordagem, momento em que o averiguado deu fuga subindo pelo telhado da residência e pulando muros (da vizinhança). Os policiais militares efetuaram o acompanhamento (perseguição) do indivíduo através do franqueamento do acesso pelos vizinhos, (sendo) prontamente atendidos (pela população). Logo em seguida, os PMs alcançaram L.A.P. e, de forma a contê-lo, os milicianos fi zeram uso progressivo da força, sendo necessário o uso de algemas”, relata o BO do caso.
Ao questionar o rapaz, ele acabou admitindo o motivo da tentativa de fuga: a existência de duas armas irregulares na sua residência (o local onde ele foi visto inicialmente pela PM), “ambas adquiridas de um guarda municipal”.
Os PMs acompanharam o suspeito então de volta à sua residência e, de fato, encontraram as armas, munições e acessórios, que foram apreendidos. Em seguida, suspeito e armamento foram levados ao Plantão Policial do Centro de Sumaré, para registro do flagrante e a apreensão das armas.
Na residência do frentista, a PM encontrou 14 cápsulas deflagradas de revólver calibre 22, dois carregadores de pistola calibre 380, um cartucho íntegro de fuzil calibre 762, uma “bala” de calibre 38 e outra de calibre 32, nove cápsulas deflagradas de revólver calibre 38 e quatro cartuchos deflagrados de munição calibre 380 – além de uma pistola Imbel calibre 380 e um revólver Tauros calibre 38.

FLAGRA
Já no Plantão, a prisão em flagrante do suspeito foi confirmada pelo delegado de plantão, Elias Kobayashi. Indiciado por porte ilegal de arma de fogo de calibre comum e de uso restrito (no caso das cápsulas de fuzil), conforme o Estatuto do Desarmamento, o rapaz permaneceu na Cadeia Pública da cidade, anexa ao Plantão, até ser apresentado para sua audiência de custódia no Fórum local.
O armamento deve passar agora por perícia do IC (Instituto de Criminalística) da Polícia Civil que pode confirmar sua origem. As investigações sobre as origens do armamento e da munição devem ser conduzidas agora pela equipe do 4º Distrito Policial de Sumaré, responsável pela região do Matão.

GCM AFASTADO
Após tomar conhecimento das circunstâncias da prisão do frentista L.A.P. e da sua afirmação de que teria adquirido o armamento irregular de um integrante da GCM (Guarda Civil Municipal), a Prefeitura de Sumaré informou em nota, no final da tarde de segunda-feira (21/10), que identificou o profissional e o suspendeu temporariamente do trabalho até que a questão seja esclarecida.
“A Corregedoria da Guarda Municipal e a Prefeitura tomaram conhecimento do ocorrido e apuram a situação. O GCM em questão está suspenso enquanto as análises da Administração estão sendo feitas”, resumiu a Municipalidade.

Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

Veja Também

Jovem é flagrada com 10 g de maconha na calça em presídio

Uma adolescente de 17 anos foi apreendida após tentar entrar com 10 gramas de maconha ...