Suspeito de execução no Matão é encontrado morto em Sumaré

Fábio Cristiano Paulino, de 29 anos, estaria jurado de morte e teria envolvimento com o tráfico de drogas, segundo os familiares

O ajudante de pintor Fábio Cristiano Paulino, de 29 anos, foi executado a tiros enquanto estava dentro de seu veículo GM Corsa, perto de sua residência, no Jardim Santo Clara, na região do Matão, em Sumaré, na tarde de terça-feira (15/10). Segundo o boletim de ocorrência, um familiar do ajudante disse que ele teria uma “dívida de drogas” e que também seria suspeito de ter matado a tiros Reginaldo Donisete Sousa, de 46 anos, que não teve a profissão informada pela polícia, após um desentendimento por conta de uma “cobrança de dívida de drogas” perto de um estabelecimento no Jardim das Estâncias, também no Matão, na última segunda-feira (14/10).
Com relação ao assassinato do ajudante de pintor, mais recente, a Polícia informou que o crime ocorreu por volta das 16h de terça-feira (15/10). Paulino estava dentro de seu veículo quando os criminosos teriam se aproximado em uma motocicleta e atirado “seguidas vezes”. Os suspeitos fugiram em seguida em direção desconhecida. Quando a Polícia Militar chegou ao local, a vítima já estava morta dentro do carro.
A PM conseguiu localizar um familiar de Paulino, que teria informado que ele estava envolvido com o tráfico de drogas havia três meses, mas há 20 dias houve uma apreensão da Polícia Militar na “biqueira” (ponto de venda de drogas) da qual ele era responsável e, desde então, ele passou a ser cobrado pelos seus superiores na organização criminosa pelos “prejuízos”
No entanto, na madrugada da última segunda-feira, Sousa teria ido ao encontro de Paulino perto de um bar no Jardim das Estâncias, para fazer a cobrança da dívida. Confrontado, Paulino teria usado a arma que carregava para atirar no suposto “cobrador das dívidas”.
Após o ocorrido, Paulino foi informado por terceiros da organização criminosa que tinha sido jurado de morte e decidiu se esconder por uns dias em uma chácara. Às 15h10 de terça-feira (15/10), ele esteve na casa de sua mãe apenas para pegar algumas roupas mas, por volta das 16h, a mulher recebeu uma ligação de um conhecido informando que seu filho já estava morto.

INVESTIGAÇÃO
O delegado Elias Yuao Kobayashi esteve no local da execução do ajudante de pintor Fábio Cristiano Paulino para acompanhar o trabalho dos peritos do IC (Instituto de Criminalística), que recolheram 24 projéteis deflagrados de pistola calibre 9 milímetros. A Polícia Civil informou que somente após o exame necroscópico do IML (Instituto Médico Legal) de Americana seria possível constatar a causa da morte e quantos tiros acertaram a vítima.

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

Veja Também

Jovem é flagrada com 10 g de maconha na calça em presídio

Uma adolescente de 17 anos foi apreendida após tentar entrar com 10 gramas de maconha ...