Cachorros localizados na chácara estavam apavorados e sem comida

Os servidores do Dembeas estiveram na chácara junto com a GCM (Guarda Civil Municipal) para a retirada dos dois cães vivos. O gerente Cláudio José Schooder considera a possibilidade de que se tratam de mãe e filho. O resgate não foi uma tarefa fácil, pois os dois estavam arredios – a cadela, que aparenta ter aproximadamente 12 anos, tentou morder os servidores várias vezes. Já o filhote apenas se encostou a uma cerca e tremia bastante.
“Todos os cães sabem a diferença de latidos de briga, aproximação de pessoas estranhas e até da morte. Os cães que encontramos na chácara já sofreram muito e certamente presenciaram as mortes dos outros animais. Eles sabiam que a aproximação de pessoas significaria algo muito ruim e sofrimento. Foi triste ver o jeito com que o filhote encostou na cerca, ele tremia bastante. Ele certamente sentia que poderia ser o próximo. Já a cadela mostrava os dentes e tentava morder, em um gesto de autodefesa e sobrevivência”, afirmou Leitinho.
Superintendente do Dembeas, o veterinário Bruno Crema contou que os dois cães pernoitaram no Bem-Estar e já apresentavam uma nítida mudança no comportamento na manhã de ontem. Na terça-feira (08/10), os dois já estavam mais sociáveis e já permitiram uma certa aproximação da equipe. A cadela e o filhote já deram até uma volta nas imediações com os servidores.
“Eles perceberam que aqui já não corria risco de morte, pois estão em segurança, sendo cuidados e alimentados”, disse Crema. Schooder espera que os dois possam se recuperar com tranquilidade “e, quem sabe, conseguir um lar em que possam ser amados, cuidados e respeitados”. “Esperamos que possam se recuperar de todo o sofrimento que passaram”, relatou Leitinho.

Quarta-feira, 9 de Outubro de 2019

Veja Também

Cia de Dança Wellington Nunes vai participar de competição na Itália

Grupo com 9 jovens estão finalizando coreografias para o “Alldance Internacional 2020”; integrantes precisam de ...