RMC gera 2.727 novos empregos com carteira em agosto, mostra Associação

Estatística oficial é divulgada pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego

Com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), uma avaliação do Departamento de Economia da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) divulgada nesta semana mostra que foram contratados 2.727 trabalhadores a mais do que as demissões em agosto deste ano na RMC (Região Metropolitana de Campinas). Assim, a região acumula, de janeiro a agosto, um saldo positivo de 16.154 contratações a mais que demissões.
Em agosto de 2018, foram contratados 2.332 trabalhadores a mais nas 20 cidades da metrópole, o que, se comparado ao saldo de 2.727 postos em agosto de 2019, resulta em um acréscimo de 16,94%. Nos acumulados de cada ano até agosto, também houve um acréscimo de 32,31% no saldo de 2019. Nos municípios da RMC, no acumulado de 2019, já foram contratados 16.154 trabalhadores a mais do que os demitidos, contra os 12.209 contratados a mais até a mesma data de 2018.
Os dados são sempre o resultado do total de admissões de trabalhadores com carteira assinada em determinado mês, menos o total de demissões no mesmo mês, conforme informações prestadas pelos empregadores ao Ministério.
As cidades que mais contrataram no ano foram Campinas (+2.871 vagas), Indaiatuba (+2.796), Paulínia (+1.272), Santa Bárbara d’Oeste (+1.393), Sumaré (+1.335), Vinhedo (+1.182), Itatiba (+960), Nova Odessa (+881), Americana (+848) e Hortolândia (+794). Os dois saldos anuais negativos são de Jaguariúna (-46) e Morungaba (-35), que apresentaram eliminação de postos de trabalho. Engenheiro Coelho apresentou a menor recuperação em postos de trabalho (saldo de 12 vagas até agosto).
Conforme a Tribuna Liberal já havia adiantado em sua edição do último dia 27 de setembro, o setor produtivo das cidades da área de cobertura do jornal (formada por Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia) registrou um saldo positivo na geração de empregos de 832 vagas em agosto deste ano. Até aqui neste ano, a microrregião também registra 4.534 novos empregos formais gerados.
“Os dados atuais podem demonstrar uma melhoria para o desenvolvimento do nível de emprego na RMC, ajudando a reduzir o desemprego, que está em torno de 10,0% da PEA (População Economicamente Ativa). E isso, juntamente com o ingresso de renda neste final de ano, melhora um pouco o poder de compra do consumidor, que poderá consumir um pouco mais neste Natal, que deve ser mais positivo que o do ano passado”, avaliou o economista Laerte Martins, diretor da Acic.
Ele destacou ainda que “o nível de emprego na cidade de Campinas está muito afetado, pois se desenvolve bem menos que o nível da RMC, apesar do grande parque industrial e comercial que o município oferece”.

NO BRASIL
Os números do Caged de agosto de 2019 apresentaram, em nível nacional, a contratação líquida de 121.387 trabalhadores, que, avaliada em relação a agosto de 2018 (quando houve saldo de 110.431 contratações), mostra um crescimento de 9,92%. No acumulado do ano (janeiro a agosto) de 2019, foram contratados 593.467 trabalhadores a mais no país, contra 568.551 postos no mesmo período de 2018 – uma expansão de 4,38%.
As melhores contribuições no acumulado do ano foram dos setores de Serviços, Indústria, Construção Civil e Agropecuária, que totalizaram juntos 624.967 contratações a mais que demissões de janeiro a agosto de 2019.

Terça-feira, 8 de Outubro de 2019

Veja Também

10º Baep vai ‘concentrar’ atuação em Sumaré e Hortolândia, adianta o CPI-9

Novo Batalhão de Ações Especiais da PM deve ser inaugurado em dezembro; 240 PMs começam ...