Requalificação pelo Ministério garante R$ 4,7 milhões a mais para duas UPAs

Unidades de Pronto Atendimento dos jardins Amanda e Rosolen foram reconhecidas como de maior porte do que eram originalmente

O Ministério da Saúde publicou na sexta-feira, 20 de setembro, no Diário Oficial da União, a Portaria nº 2.291, que alterou a opção, o valor da habilitação e a qualificação das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24h dos jardins Amanda e Rosolen como sendo unidades de maior porte. Com isso, os repasses federais para custeio dessas duas unidades devem aumentar em R$ 4.728.000,00. Segundo a Prefeitura da cidade, a requalificação das UPAs deveu-se à quantidade de atendimentos que elas veem realizando.
“A Prefeitura de Hortolândia informa que o montante de R$ 4.728.000,00 é o volume que as duas UPAs garantirão à mais para Hortolândia, anualmente, graças a requalificação realizada pelo Ministério da Saúde. O município passa a receber o repasse reajustado a partir do próximo mês”, apontou a Administração Municipal.
Antes da requalificação, as UPAs dos jardins Amanda e Rosolen recebiam juntas, ao ano, R$ 4.080.000,00 em repasses federais para custeio de suas atividades. Com o acréscimo proporcionado pela mudança de tipo, o montante repassado ao ano vai passar agora a R$ 8.808.000,00 – um incremento de 115,9%.
“Cada uma das UPAs atende a mais de 8,5 mil pessoas por mês, que é o volume mínimo de pacientes para que o Ministério da Saúde requalifique e pague este montante. Conseguimos demonstrar para o Ministério que estamos mantendo um bom atendimento à população, chegando em algumas situações a 9 mil pessoas por mês. É mais dinheiro para Hortolândia, para a Prefeitura fazer mais pela Saúde do município”, destacou a secretária municipal de Saúde, Odete Carmem Gialdi.
Segundo a Prefeitura, o valor repassado pelo Ministério da Saúde até então “não cobria todos os gastos necessários para a manutenção das UPAs”. De acordo com a Secretaria de Saúde, com a comprovação de que Hortolândia já atende este volume de pacientes por mês, o Ministério acatou o argumento do Município e requalificou as Unidades de Pronto Atendimento. “Hoje, 30% da arrecadação do Município já são investidos na Saúde, quando a lei prevê 15%. E a Prefeitura segue em busca de mais recursos que possam ser investidos na melhoria dos serviços de saúde oferecidos à população”, reforçou Odete. A nova qualificação é válida por três anos, podendo ser renovada mediante novo processo de avaliação.

HOSPITAL MUNICIPAL
A Prefeitura de Hortolândia deve publicar, em breve, um novo edital para as obras de reforma e ampliação do Hospital Municipal Governador Mário Covas. Com a republicação, o Município quer dar continuidade à contratação da empresa que será responsável pelos obras.
Serão investidos R$ 12,5 milhões na reestruturação de todo prédio, com intervenções desde a fachada até as instalações internas, ação que garantirá a ampliação de 62 para 100 leitos, incluindo 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adultos e serviço de tomografia. Também haverá a ampliação de quatro para cinco salas cirúrgicas, o que vai melhorar a capacidade para a realização de cirurgias.
“Esta será a primeira grande reforma no Mário Covas. Inaugurado há 20 anos, pelo então secretário de Saúde Angelo Perugini – hoje prefeito –, a unidade foi pensada para atender uma população estimada em 160 mil habitantes, na época. Atualmente, a estimativa do IBGE é de que a população esteja em 230 mil pessoas”, relembrou a gestão.
Com as melhorias previstas, o Hospital Municipal terá uma mudança de perfil e passa a ser considerado de média complexidade, com aumento da resolutividade assistencial. Isso garantirá atendimento de mais qualidade, em menor tempo e reduz a necessidade de transferência dos pacientes para outros hospitais da região.

Sábado, 21 de Setembro de 2019

Veja Também

10º Baep vai ‘concentrar’ atuação em Sumaré e Hortolândia, adianta o CPI-9

Novo Batalhão de Ações Especiais da PM deve ser inaugurado em dezembro; 240 PMs começam ...