Barragem do Salto Grande é reclassificada para ‘Risco Baixo’

O relatório também trouxe uma boa notícia para as cidades da região: a reclassificação da Barragem do Salto Grande, que serve à PCH (Pequena Central Hidrelétrica) de Americana e está sob responsabilidade da CPFL Renováveis, e cujo reservatório encontra-se parcialmente em território de Nova Odessa. Antes classificada como de “Alto Risco”, o que causou temor em autoridades regionais no início do ano, a estrutura de concreto recebeu no novo relatório uma classificação de “Risco Baixo”, exigidos por lei para casos assim, em que há risco à população em caso de rompimento.
Ainda assim, a PCH Americana manteve a classificação de “Dano Potencial Associado Alto” em virtude da distância que as águas da barragem atingiriam em caso de eventual rompimento da estrutura de concreto com 22 metros de altura. Isto porque os municípios afetados pela “mancha de inundação” incluiriam Americana, Limeira, Santa Bárbara d’Oeste, Iracemápolis, Piracicaba e São Pedro.
“Os resultados da classificação de barragens referentes ao ciclo de avaliação do ano base de 2017, quando comparados aos do ano de 2018, nos quais estão baseadas as informações deste relatório (dados fornecidos pela Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica em março de 2019), revelam que as barragens de Americana e Salto de Pirapora tiveram seus enquadramentos reavaliados, por meio de procedimentos exigidos pela Aneel e cumpridos pelos empreendedores, saindo da categoria de maior risco (alto) para risco médio, e passando à Classe B”, aponta o relatório do Grupo de Trabalho. No entanto, o texto reafirma que “barragem também a requerer medidas de recuperação é a de Americana”.

Sexta-feira, 12 de Julho de 2019

Veja Também

Prefeito Du Cazellato anuncia mais 3 secretários municipais em Paulínia

Foram anunciados os titulares das pastas de Meio Ambiente, Turismo e Eventos e Administração da ...