Secretário promete a ciclistas mais 10 quilômetros de ciclovias em Hortolândia

Atílio André Pereira participou quarta-feira à noite, na Câmara, de uma reunião com cicloativistas da cidade

O secretário de Mobilidade Urbana de Hortolândia, Atílio André Pereira, apresentou a um grupo de 23 ciclistas da cidade na noite da última quarta-feira (12), em reunião realizada na Câmara Municipal, os planos para a ampliação da infraestrutura cicloviária que constam no PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento) da Prefeitura, que preveem a criação de mais dez quilômetros de faixas exclusivas no Sistema Viário.
Os ciclistas hortolandenses veem cobrando desde o início do ano a ampliação das ciclovias e ciclofaixas na cidade, atualmente com extensão total de apenas 4 quilômetros. “Serão construídos 10 quilômetros de ciclovias interligando os parques socioambientais da cidade, desde o Jardim Sumarezinho até a região Central”, reforçou a Administração Municipal.
O encontro durou cerca de 2 horas. Pereira também apresentou aos ciclistas os planos para oferecer mais segurança à população que se desloca de bicicleta. Os ciclistas também puderam dar sugestões sobre o que é necessário para que eles possam realizar os trajetos diários com mais tranquilidade, bem como a realização de trabalhos educativos para os motoristas respeitarem quem anda de bicicleta.
Atualmente, o trecho cicloviário está localizado na Avenida Olívio Franceschini, ligando a Avenida da Emancipação até o Parque Socioambiental Chico Mendes, na região Central. Outro trecho é na Avenida Santana, que sai da região Central e vai até o Jardim Amanda.
“Pudemos debater temas para realizarmos ações que vão melhorar a vida dos ciclistas. Ouvimos as demandas solicitadas por eles em duas horas de conversa e também apresentamos as obras do PIC, que prevê a implantação de 10 quilômetros de ciclovia. Com a implantação de mais ciclovias ao redor dos parques socioambientais, Hortolândia se tornará uma cidade mais ciclável e segura para o deslocamento com bicicletas como meio de transporte”, afirmou ontem em nota o titular de Mobilidade Urbana.

CICLISTAS
Segundo o cicloativista do grupo “Amigos da Bike”, Walther Barros, o grupo avaliou como positivo o encontro com o secretário. “Tivemos a oportunidade de apresentar todas as nossas demandas e ouvir atentamente as propostas do Governo. A única situação que ficou sem resposta foi a conexão da Ponte Estaiada com a ciclovia. O secretário descartou qualquer intervenção no local e assumiu o erro no projeto. Para compensar, propôs uma ciclovia às margens da linha do trem e uma outra na avenida que ligará o Hospital Municipal às Chácaras Panaino, chegando até o Corredor Metropolitano. Questionamos o secretário sobre metas e prazos, e ele indicou que algumas obras terão início ainda neste ano e que outras estão com os projetos sendo finalizados e poderão durar até três anos para acontecer”, comentou.
Segundo Barros, os ciclistas também propuseram a criação de uma Frente Parlamentar da Câmara de Vereadores para acompanhar as obras prometidas. “Também montamos uma comissão de representantes dos grupos de ciclismo. A convite do Governo, iremos sugerir interferências nos projetos e indicar prioridades. Essa comissão pretende se encontrar uma vez ao mês para discutir o andamento das obras e o acompanhamento dos projetos”, acrescentou o cicloativista.

O PIC
O PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento) é um conjunto de ações que prevê mais de 100 intervenções e serviços que promoverão o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. As obras são realizadas com recursos da Prefeitura, da iniciativa privada e dos governos estadual e federal.

Sexta-feira, 14 de Junho de 2019

Veja Também

Indústria da região cria 400 vagas de trabalho em julho, aponta a Fiesp

Setor produtivo industrial vinha de um resultado desastroso em junho, e recuperou parte das perdas ...