????????????????????????????????????

Equipe é treinada para testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite B em Sumaré

Capacitação da equipe da Rede Municipal de Saúde foi realizada durante a semana no Centro de Referência em Saúde Sexual

Profissionais das Unidades de Saúde da Rede Municipal de Sumaré receberam na terça-feira, dia 04, e na quinta-feira, dia 06, capacitação para realização de testes rápidos de HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), sífilis e hepatite B. A formação ocorre anualmente, visando ampliar o número de colaboradores treinados para realizar o procedimento e, assim, contribuir para o diagnóstico e tratamento precoce das doenças.
Participaram do curso 20 profissionais da Saúde de Sumaré, 20 da cidade de Hortolândia e mais dez de municípios vizinhos. A capacitação aconteceu na Faculdade Anhanguera, região central da cidade, das 8h às 17h, e foi ministrada por diversas pessoas habilitadas pelo Ministério da Saúde, entre elas a gerente do Cresser (Centro de Referência em Saúde Sexual Reprodutiva) de Sumaré, Tânia Mara Cardoso.
Os participantes receberam informações teóricas, como conceitos e explicações detalhadas das doenças, além de questões sobre o acolhimento e acompanhamento dos pacientes. Na prática, também receberam informações sobre as técnicas e maneiras corretas de realizar o teste rápido para o diagnóstico das doenças.
“O teste rápido só deve ser realizado por profissional capacitado, por isso, realizamos esse treinamento anualmente, aumentando o número de colaboradores aptos no município para a realização do exame. Vale ressaltar que o diagnóstico precoce dessas DSTs é fundamental para o encaminhamento do paciente o quanto antes aos serviços especializados, aumentam e muito as chances de cura e controle”, explicou o prefeito Luiz Alfredo Dalben (PPS), lembrando ainda que essas doenças podem muitas vezes ser silenciosas e, por isso, o diagnóstico precoce também visa evitar que outras pessoas sejam infectadas.
Em Sumaré, o teste rápido de HIV, sífilis e hepatite B pode ser realizado nas Unidades Básicas de Saúde e também no Cresser. O exame é indicado principalmente para pessoas que possuem vida sexual ativa e mantiveram relações sem o uso de preservativo. O resultado do teste fica pronto em cerca de 30 minutos, enquanto o exame convencional (sorologia) leva alguns dias, dependendo do laboratório.

HIV
Segundo o Ministério da Saúde, o HIV é o causador da Aids, doença que ataca o sistema imunológico do paciente. Ser portador do HIV não é a mesma coisa que ter Aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. No entanto, podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas, de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, ou transfusão de sangue contaminado. Por isso, é sempre importante fazer o teste rápido e se proteger em todas as situações.

SÍFILIS
A sífilis é uma doença sexualmente transmissível curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção (aparecimento de feridas e manchas pelo corpo), a possibilidade de transmissão é maior. A Sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto. O tratamento geralmente é realizado com a penicilina benzatina.

HEPATITE B
Causada pelo vírus B (HBV), a hepatite do tipo B é uma doença infecciosa, também chamada de soro-homóloga. Como o HBV está presente no sangue, no esperma e no leite materno, a hepatite B pode ser transmitida por meio de relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; da mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação; do compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings; transfusão de sangue contaminado.
A maioria dos casos de hepatite B não apresenta sintomas. Porém, os mais frequentes são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Esses sinais costumam aparecer de um a seis meses após a infecção. Como as hepatites virais são doenças silenciosas, consulte regularmente um médico e faça o teste.

Sábado, 08 de junho de 2019

Veja Também

Anhanguera ‘troca’ inscrição em seu vestibular pela doação de agasalhos

Neste sábado (22/06), o campus de Sumaré da Faculdade Anhanguera realiza mais uma edição de ...