Doze cães em situação de abandono são resgatados por associação e Polícia Civil

Animais, incluindo 5 filhotes com suspeita de cinomose, eram mantidos fechados em canil com pouco espaço e sem a luz do sol

Doze cães, incluindo cinco filhotes, foram localizados na terça-feira (28/05) em um canil com pouco espaço e sem a luz do sol que ficava no quintal de uma residência no Jardim Bela Vista, em Nova Odessa. Os animais foram localizados pela Polícia Civil e voluntários da ONG AAANO (Associação dos Amigos dos Animais de Nova Odessa). A alimentação e a água eram fornecidos pelo telhado do abrigo, por meio de um balde amarrado com uma corda, de acordo com os ativistas da causa animal. Os cães foram resgatados e levados para o abrigo da ONG, onde receberiam cuidados veterinários. Um casal identificado como o responsável pelos animais deve responder na Justiça pela acusação de maus-tratos.
Diretora social da ONG, Larissa Pires Frias disse que a AAANO recebeu recentemente a denúncia de maus-tratos segundo a qual seis cães eram mantidos em canil com pouco espaço ou acorrentados em um espaço muito reduzido. Os protetores fizeram então uma denúncia à Depa (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal), que direcionou a apuração para a Delegacia de Nova Odessa.
O investigador-chefe de Nova Odessa, Marcos Mella, disse que a abordagem foi acompanhada também por funcionários do Setor de Zoonoses da Prefeitura e peritos do IC (Instituto de Criminalística) de Americana. As fotos e os laudos serão anexados ao inquérito sobre os supostos maus-tratos. “Há informações que pelo menos três cães já morreram naquele local, mas tudo será esclarecido durante a nossa apuração”, afirmou Mella.
A diretora da AAANO afirmou que somente quando chegou ao local pôde perceber que a denúncia era “mais séria”. “Constatamos que, além dos cães adultos, tinha mais seis filhotes com suspeita de cinomose, que é uma doença altamente contagiosa. O canil onde ficavam não tinham porta e, como ficavam confinados em um local muito pequeno, todos estavam muito estressados. Localizamos crostas de fezes debaixo das patas dos animais”, completou Larissa.

AAANO
Apesar da alta despesa da ONG, que chega a R$ 45 mil por mês para cuidar dos mais de 600 animais abrigados, os ativistas não tiveram alternativa e resgataram os animais que estavam no imóvel. “Nossa despesa vai aumentar bastante, pois teremos que providenciar todas as castrações e exames que serão anexados na apuração. Uma das cadelas apreendidas estava com o olho sangrando, pois está com um tumor que necessita de cuidados”, disse Larissa.
O casal que seria o responsável pelos animais seria “reincidente”, pois no ano passado a ONG já havia recebido uma denúncia de que um cão era mantido trancado dentro de um carro abandonado que ficava na frente do mesmo imóvel. “Na época, eles aceitaram tirar o cão do carro e não foi acionada a polícia”, completou a diretora da AAANO.
A AAANO reforçou a necessidade de doações, pois a diretoria ainda não conseguiu “fechar” as contas de maio – faltam R$ 15 mil. Eles disponibilizaram duas vaquinhas na internet, que estão disponíveis nos links https://pag. ae/7UWkg8QX7 (Pagseguro) ou http://bit.ly/PeixeUrbano (pelo Peixe Urbano). Quem quiser, também pode fazer doações de qualquer valor na conta da AAANO no Banco Santander (agência 0545, C/C: 13.00.08.29- 5, CNPJ: 01.995.128/0001-03).

Quinta-feira, 30 de Maio de 2019

Veja Também

Projeto apoiado pela IC Transportes vai formar 160 novos fotógrafos em Sumaré

Projeto “Saindo do Automático – Luz, Cor, Preto e Branco”, da DZ.7 Realizações, tem patrocínio ...