Comércio da RMC cresce menos de 1% em março, aponta Associação Comercial

Vendas de março deste ano ficaram estáveis frente ao mesmo mês de 2018 em Campinas e região, mostra levantamento regional da Acic

Por qualquer dos aspectos analisados, o Comércio Varejista da RMC (Região Metropolitana de Campinas) apresentou um crescimento minúsculo em março deste ano, sempre menor do que 1%, quando comparado à performance do setor no mesmo mês de 2018. É o que mostra a mais recente análise do desempenho do Comércio regional divulgado pela Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), entidade que acompanha o setor mensalmente.
Por exemplo, o faturamento somado do Varejo nas 20 cidades que compõem a metrópole – incluindo Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia – foi de R$ 1,147 bilhão, ou seja, meros 0,91% superior ao faturamento de R$ 1,136 bilhão verificado em março do ano passado.
O faturamento acumulado no ano, na soma das 20 cidades, também cresceu pouco: de R$ 3,193 bilhões vendidos em março de 2018, para R$ 3,208 bilhões em março de 2019, uma evolução de 0,46%.
“Os dados do SCPC de março de 2019 indicam que as vendas do Comércio Varejista de Campinas e Região ficaram positivas em relação a fevereiro passado, e apresentaram uma elevação de 0,35% em relação a março de 2018, ou seja, quase se equipararam ao mesmo período do ano passado”, ponderou Laerte Martins, economista e diretor da Acic, em nota que acompanha o estudo.
Já quando a análise é feita pelo segundo critério possível – o volume de vendas, ou seja, de notas fiscais emitidas pelo setor a cada mês –, o resultado do Comércio da RMC é ainda pior. Foram faturadas 315.196 vendas em março deste ano, ou seja, apenas 0,35% a mais do que as 314.060 negociações fechadas pelo Comércio Varejista da RMC no mesmo mês do ano passado.
Na verdade, o total de negociações acumuladas no ano – entre janeiro, fevereiro e março – caiu -0,18% na RMC, demonstra o levantamento coordenado por Martins. Foram fechadas 882.989 vendas neste ano até agora, contra 884.590 vendas em março de 2018.
A participação do e-commerce ficou nos 9,0% sobre as vendas física da região, correspondendo a 67.536 consultas, equivalentes a R$ 245,8 milhões. Os setores que tiveram maior aumento de vendas em março, na comparação com o mesmo mês do ano passado, foram os de Bebidas e Alimentação (+1,65%), Produtos de Carnaval (+1,05%), Vestuário e Calçados (+0,95%) e Eletroeletrônicos (+0,50%).
Para o dirigente da Acic, um dos fatores para esta queda nas vendas totais do ano até aqui pode ter a ver com o calendário. “O Carnaval, que normalmente cai em fevereiro, acabou acontecendo em março, juntamente da Quarta-Feira de Cinzas, impactando em menos tempo para as compras do mês”, apontou o dirigente da entidade de classe.
Para ele, “apesar de uma pequena melhora nos índices de confiança dos consumidores, isso não foi suficiente, ainda, para a melhora dos indicadores, no poder de compra, na inflação, nos juros, e no câmbio, que deveriam ficar mais equilibrados”.
Diante desse “impasse”, acredita Laerte Martins, “o consumidor passou a comprar mais à vista (+2,39%) e bem menos a prazo (-1,37%)”. “A esperança que fica é de que, para o Comércio, tudo deverá melhorar ”, acrescentou.

INADIMPLÊNCIA
A inadimplência na RMC (Região Metropolitana de Campinas) apresentou uma evolução de 4,50% em março de 2019, com 120.440 carnês vencidos e não pagos há mais de 60 dias, o que representa R$ 86,7 milhões de endividamento dos consumidores da RMC perante o Comércio regional.
“A observação que se faz até o momento da conjuntura econômica do novo governo federal é de que é insuficiente para se afirmar uma recuperação da Economia, principalmente pelo embate na Reforma Previdenciária, que é o ponto mais nevrálgico para desembargar a economia para o início de uma recuperação lenta, mas gradual, até próximo a 2022. O atual índice de desemprego pelo qual passa a nossa Economia é também o outro grande entrave para uma melhora das atividades econômicas da qual necessita o país e a nossa região”, completou Martins.

Sábado, 20 de Abril de 2019

Veja Também

Centro Cultural Subestação de Sumaré tem vagas para todos os gostos e estilos

O sonho de ser bailarina, ginasta ou dançarina é comum a muitas meninas. O desejo, ...