Embaixador da Costa do Marfim visita Sumaré por parceria com país africano

Tibebi Gole Blaser, que também é rei do 4º Setor do Continente Africano, quer estreitar laços em vários setores, inclusive o Agronegócio

Com o objetivo de estreitar as relações entre o Brasil e a África, o embaixador da Costa do Marfim, Tibebi Gole Blaser, também conhecido como rei do 4º Setor do Continente Africano, doutor em Engenharia Agronômica, gestor de Comércio Exterior de 54 países da África e proprietário da empresa de Exportação Brazafrica, participou em Sumaré de um encontro entre empresários brasileiros. O evento foi organizado na última terça-feira (16), pelo Grupo Gaia – especializado em securitização do mercado brasileiro e Construtora HB.
Aparecido Carlos França, gestor de Negócios Internacionais entre o Brasil e o Continente Africano, disse que a ideia de realizar o encontro em Sumaré surgiu para ser “uma oportunidade de mostrar a importância da cidade de Sumaré”, inserida em uma área importante da RMC (Região Metropolitana de Campinas), cercada por três importantes rodovias do país, como a Anhanguera (SP-330), Bandeirantes (SP-348) e a Dom Pedro 1º (SP65), além de estar localizada a aproximadamente 30 quilômetros de distância do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.
“A vinda do embaixador a Sumaré foi importante para fazer abrir a oportunidade de negócios com a África. A Costa do Marfim, por exemplo, é o maior produtor do mundo em cacau e o terceiro em produção de café de qualidade, além da produção de caju e algodão. O Brasil pode colaborar em vários sentidos e vice-versa. Será uma importante oportunidade de negócios envolvendo o Brasil e os países do Continente Africano”, comentou França.
Blaser destacou a iniciativa de fazer uma parceria entre setores como Saúde e principalmente com o Agronegócio. “A Costa do Marfim concentra a maior produção mundial de cacau do mundo, mas não tem a capacidade de fazer o processamento para o chocolate, por exemplo. Já o Brasil é o quarto maior consumidor de chocolate no mundo, mas concentra apenas 45% de sua produção, com isso, o chocolate acaba tendo um custo muito alto para o consumidor. Poderemos fazer uma parceria muito importante nesse sentido”, afirmou o embaixador.
Segundo ele, a Costa do Marfim também é o principal produtor de caju, mas tem a capacidade de processar somente 7% de sua produção. “O Brasil dispõe de tecnologia disponível para o Agronegócio. Queremos fazer esse elo para conseguir um avanço nesse sentido. Para a aquisição de equipamentos que melhorem o nosso processamento. Afinal de contas, quem tem menos não é concorrente e pode ajudar a crescer”, completou Blaser.
Durante o encontro, o empresário Carlos Breda, da Gaia Bolsa Imóveis, apresentou a MGM, empresa que produz o superfertilizante organomineral Nutriterge, que está sendo produzido em Sumaré. O diretor do Setor de Pesquisa e Desenvolvimento, o engenheiro químico Marcio Ferreira Camargo explicou sobre a aplicação do produto, que pode triplicar a produção de maneira sustentável.
O encontro contou com a presença de representantes da HB Construtora, Mexixem Amanco, Arbi Química, do prefeito Luiz Alfredo Dalben (PPS), do deputado estadual Dirceu Dalben (PR), do vereador Valdinei Pereira da Silva, o Ney do Gás (PV), e do superintendente de Apoio às Empresas da Prefeitura, Silvestre Gonzales.

Sábado, 20 de Abril de 2019

Veja Também

Barilon é denunciado por arquivar pedido de cassação de Carol Moura

Um dos autores do pedido de comissão processante contra a vereadora entrou na Justiça contra ...