Prefeitura de Paulínia recebe as chaves da nova UBS do Centro

Unidade Básica de Saúde do Centro é a segunda entregue nesta semana na cidade viabilizada pelo Programa “Saúde em Ação”, do Estado

O prefeito interino de Paulínia, Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), recebeu na manhã de quarta-feira (17) as chaves e o termo de posse da nova UBS (Unidade Básica de Saúde) do Centro. A unidade começará a atender a população no início do segundo semestre deste ano. Para a construção do prédio, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo investiu R$ 3,4 milhões, viabilizados através do Programa “Saúde em Ação”. Já a Secretaria de Saúde da cidade doou o terreno para a construção da unidade.
Com 680 metros de área construída, a nova UBS conta com oito consultórios, sendo um odontológico, sala de curativos, sala de vacinas, inalação, medicamentos, sala de atividades coletivas, área administrativa, sala de reuniões e tem capacidade para fazer até 180 atendimentos por dia. A unidade foi entregue mobiliada.
“O setor da Saúde enfrenta muitos problemas e estou trabalhando muito para mudar a situação. Quando assumi como prefeito, a situação era de abandono. Com a nova UBS do Centro, vamos ter avanços e a população logo vai perceber as melhorias”, afirmou Loira.
O secretário de Saúde de Paulínia, Luís Carlos Casarin, relatou que antes de começar a funcionar os servidores que irão trabalhar no local receberão treinamento. “A nossa atenção básica terá mais qualidade com esse novo espaço. Se trata de uma grande conquista para a cidade”, disse. As chaves e o termo de posse foram entregues oficialmente por Oswaldo Bardaro, representante da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.
Na manhã de terça-feira (19), Loira já havia assinado o termo de posse e recebido simbolicamente as chaves da nova UBS do Cooperlotes, também construída pelo Programa Saúde em Ação e idêntica em área construída e valor de investimento.

O PROGRAMA
O “Saúde em Ação” é uma parceria inédita da Secretaria de Estado da Saúde com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que prevê a construção e reforma de 166 Unidades de Saúde em cinco regiões paulistas. Do investimento total para o programa, de R$ 826 milhões, 70% são provenientes do BID e outros 30%, do tesouro estadual.
Apenas nas cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas), são R$ 268 milhões investidos em 76 obras, incluindo a construção e reforma de 65 clínicas do tipo UBS e um novo AME (Ambulatório Médico de Especialidades) que já está sendo construído em Campinas.
Na microrregião formada pela área de cobertura do Jornal Tribuna Liberal, foram ou estão sendo construídas 15 novas unidades, sendo duas em Hortolândia, três em Monte Mor, duas em Nova Odessa, três em Paulínia e cinco em Sumaré.
A maioria são clínicas do tipo UBS, consideradas as “portas de entrada” dos pacientes no SUS (Sistema Único de Saúde), que têm capacidade de realizar, em média, cerca de 1,8 mil atendimentos por mês, entre consultas médicas e odontológicas. Nas UBSs, os pacientes também recebem vacinas, curativos e inalações, além de coletar sangue para exames laboratoriais. Os equipamentos também abrigam ações de promoção e prevenção da saúde.

Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

Veja Também

Barilon é denunciado por arquivar pedido de cassação de Carol Moura

Um dos autores do pedido de comissão processante contra a vereadora entrou na Justiça contra ...